sexta-feira, 26 de maio de 2017

A SAGA DA FAMÍLIA ARCOVERDE


A família Arcoverde chegou ao Rio Grande do 

Norte, na década de 40.

Veio de Garanhuns, Estado de Pernambuco.

Era uma época de grandes dificuldades. Em 

plena guerra.


Família com cinco filhos:  quatro mulheres e um 

homem.

O casal Argecílio e Isaura começava uma nova 

vida na bela cidade de Natal.

No DNA da família, a luta, a disciplina e a 

pernambucanidade, tão comum à gente daquele 

rincão do Brasil.

Hoje, o único varão da família chega aos 80 

anos.

Não é uma tarefa fácil, pois, muitos são 

chamados e poucos os escolhidos.

Hoje, navegar é preciso. Mas, é preciso navegar 

como faz o Dr. José Welington. Um marinheiro 

de longo curso, que combate o bom combate 

sem perder a fé, como fez o apóstolo São Paulo.

Neste mundo cada vez mais tecnológico e 

violento, é preciso lembrar e ouvir os poetas, 

humanistas e filósofos.

Como Confúcio, que em seu pequeno texto, faz 

uma reflexão sobre a vida, que aproveito para 

oferecer ao amigo, José Wellington, nos seus 80 

anos de vida.

O Mestre disse:

Aos quinze anos, orientei meu coração para aprender.

Aos trinta, plantei meus pés firmemente no chão.

Aos quarenta, não sofria de perplexidade.

Aos cinquenta, sabia qual eram os preceitos do céu.

Aos sessenta, eu os ouvia com ouvido dócil.

Aos setenta, eu podia seguir as orientações do 

meu próprio coração, pois o que eu desejava 

não mais excedia as fronteiras da justiça.


Givaldo Soares

quarta-feira, 24 de maio de 2017

UM NOVO MUNDO É POSSÍVEL!

A visão de mundo “direita-esquerda” está exaurida.

Não ajuda a resolver os problemas do mundo moderno.

Surgiu na Revolução Francesa, em 1789. Portanto, há 228 anos!

No Novo Mundo da pesquisa pura e aplicada, da Inovação e da Alta Produtividade, da Robotização e da inteligência artificial, onde um homem fechado no seu quarto, junto ao seu computador elabora um ataque cibernético e paralisa o mundo.

Para esnobar não cobra nem em Euro, nem dólar e sim, na moeda digital (Bitcoin).

Este mundo não aceita mais a viseira ideológica, “direita-esquerda” que dogmatiza o homem.

Mas nem tudo está perdido. O Estado e o Mercado, precisam dialogar e não, se contrapor.

Emmanuel Macron, Presidente da França, entendeu que isso é uma grande esperança.


Givaldo  Soares

quinta-feira, 9 de março de 2017

PARABÉNS, GINO MORELLI


PARABÉNS, GENEROSO  

E NOBRE  AMIGO  GINO!



Sou testemunha ocular do seu êxito.

Como Esportista, Professor e na 

Gastronomia.

Mas é declamando Manoel Bandeira, 

degustando um bom vinho, que você 

é  brilhante.

Parabéns pela sua especial data!!!!!!!

Um abraço fraterno do amigo,

Givaldo Soares



(E da CONFRAM - Confraria da 

Amizade, da qual participa)

segunda-feira, 20 de fevereiro de 2017

UM CIRCO CHAMADO BRASIL




Lula é o dono do Circo Brasil

Mas é, também, o seu principal artista.

Mágico, ele tira coelhos da cartola.

Prestidigitador, ele faz desaparecer pessoas e 

objetos.

Como palhaço, ele é inigualável! 

Às vezes, faz rir, às vezes, faz chorar...

Mas é no trapézio que ele é brilhante, um 

verdadeiro craque.

Seu salto triplo, carpado, sem rede de proteção, 

é antológico.

Mas... é perigoso! 

Um dia, ele pode cair do cavalo.

Já velho, ele deveria se aposentar, e cuidar dos 

seus netos.

A volta de Lula à direção do Circo Brasil, é uma 

tragédia anunciada.


Givaldo  Soares

segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

CONFRARIA SOLIDÁRIA

Os componentes da CONFRAM - 

Confraria da Amizade - que se reúne semanalmente em Natal, está de luto, solidariamente!

Faleceu em São Paulo, de falência múltipla de órgãos, ADERBAL MORELLI, querido irmão do Confrade GINO MORELLI.

ADERBAL nasceu em Natal, mas graduou-

se em Direito em Maceió/AL, na década 

de 60, abrindo posteriormente conceituado Escritório na Capital de São Paulo e, posteriormente, em Brasília.

Era refinado amante da Literatura, da 

Poesia, da Música, grande apreciador da 

bela obra do Poeta pernambucano Manoel 

Bandeira.

Foi atuante líder estudantil, desde o 

ensino médio até a universidade, era eloquente orador e gostava da boa música, da boa mesa e de um bom vinho, portanto, um apreciador da vida.

Fraternal e solidário abraço dos que 

fazem a CONFRAM, querido GINO.


A Diretoria

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

PREITO DE HOMENAGEM A SOLINO


JOSÉ MARIA SOLINO: 
UM TRABALHADOR INCANSÁVEL!
A morte esteve presente em Gravatá/PE, em 05/12/2016, e levou meu querido amigo, José Solino. Era uma grande figura humana!
Nasceu em Mossoró e, ainda jovem, veio para Natal e não parou mais de trabalhar.
Começou na Casa Londres, no Grande Ponto, depois foi para a Nações Unidas Tecidos.
O conheci, na década de 50 e juntos comemoramos a tomada do poder, em Cuba, pelo ditador Fidel Castro, hoje, uma grande decepção...
Zé gostava de conversar, era um polemista. Na década de 80, deixou Natal e foi trabalhar em Recife, onde exerceu várias atividades.
Trabalhou no Berlim Med, laboratório farmacêutico alemão, que foi pioneiro nos produtos anticoncepcionais, contribuindo para a liberdade sexual feminina.
Depois, transformou-se em proprietário de algumas farmácias e, finalmente, encerrou suas atividades profissionais, como proprietário de uma  agência de Turismo, chegando até a organizar algumas viagens à Europa.
Mas a vida tem suas dificuldades... De repente, foi surpreendido por um processo diabético, sendo obrigado a amputar uma perna. Conseguiu superar esse infortúnio, caminhando muito bem com a perna artificial.
Era um guerreiro, convivi com ele muitos anos, lembro alguns episódios marcantes. As conversas na “Universidade do Grande Ponto” com os amigos: Guaraci do Lago Moura, Gino Morelli, José Anchieta e o escriba que vos fala.
Outro momento importante: as comemorações da vitória do Brasil na  Suécia, em 1958, onde se destacaram Didi, Garrincha e Pelé. Foi uma vitória inesquecível!
Um momento especial foi quando o convidei para conhecer minha querida cidade, Lagoa dos Gatos, no interior de Pernambuco. Ele estava muito feliz!
Mas, seu grande sonho era voltar a residir em Natal. Cidade que nunca esqueceu.
Casou com uma moça prendada de Gravatá/PE, Maria do Socorro, e do casamento nasceram dois filhos, Josué e Karine, que  lhe deram alguns netos, e os encheu de felicidade.
Hoje, trinta dias após sua morte, me solidarizo com sua família e relembro o bom amigo José Maria Solino.

Givaldo Soares da Silva

segunda-feira, 1 de agosto de 2016

HOMENAGEM AO PROF. NELSON JOÃO

Espaço Remido do CRO-RN homenageia o professor aposentado da UFRN Nelson João
Comemoração há 10 anos: 75º Aniversário

Distribuindo sua sapiência e simpatia pelo mundo:
Barcelona
Estados Unidos
Lisboa
Alemanha
O Cirurgião Dentista Givaldo Soares, especialista em Prótese Dentária, é um colaborador assíduo do Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Norte, que gosta de conversar e fazer amigos, mas também de escrever. 

Neste novo espaço dedicado aos Cirurgiões Dentistas Remidos do CRO-RN, ele escreve sobre o colega Nelson João da Silva, professor aposentado da Universidade Federal do Rio Grande do Norte (UFRN).

Para homenagear os Remidos como ele, que são os 

profissionais que atingem a idade limite de 70 anos 

e  entram para esse seleto grupo, Doutor Givaldo

sugeriu ao presidente do Conselho, Gláucio de 

Morais e Silva, a criação de um espaço no site, o 

qual foi aceito.

Como remidos, os profissionais da Odontologia, 

como Dentistas, ASBs, TSBs e TPDs e APDs, passam 

a ser isentos de recolher a anuidade do Conselho e 

recebem um certificado. 

Estreando este novo espaço no site do CRO-RN, 

Doutor  Givaldo Soares faz uma homenagem 

especial ao colega Nelson João da Silva, que nesta 

terça-feira, 02 de agosto, faz aniversário, 

completando 85 anos de vida.

O pernambucano Nelson João, assim como Givaldo 

Soares, nasceu na cidade de Lagoa dos Gatos, a 130 

km de Recife.


PERFIL: NELSON JOÃO SILVA  

A vinda de Nelson João Silva para trabalhar em 

Natal, no laboratório Galvão, foi uma epopeia.  

Tem um toque de Deus, um pouco de sorte, e 

muito do acaso que está sempre presente na 

vida de todos nós.

Vejam como este fato ocorreu:  

Nelson é filho de Lagoa dos Gatos, pequena 

cidade do interior de Pernambuco; sua mãe se 

dedicava ao lar e à educação dos filhos, seu 

nome, Felizbela; seu pai era conhecido na 

cidade como “seu Nico”, pedreiro de profissão.


Nelson, ainda pequeno, ajudava como podia, 

foi verdureiro, alfaiate e depois protético, 

profissão que aprendeu com Agenor Vieira, 

dentista prático existente na cidade.

Mas Lagoa dos Gatos tinha também a sua elite 

política e econômica, como o fazendeiro e 

coronel Antônio Francisco da Silva Vieira 

Júnior, que foi prefeito da cidade (1938/1940).

Ele mandava seus filhos estudar no Recife, e 

assim conseguiu formar seu filho Álvaro Vieira, 

em medicina, na década de 30. 

Ele foi o primeiro filho de Lagoa dos Gatos 

formado nesta profissão.


Álvaro era um médico brilhante e, ao terminar 

seu curso no Recife, recebeu um convite do 

professor Januário Cicco para trabalhar em 

Natal.


Ao chegar à cidade ele conquistou uma grande 

clientela e muitos amigos. O professor 

Clemente Galvão Neto era seu amigo e Dentista.


Nelson João Silva sonhava em estudar, mas 

seus pais não tinham condições de bancar seus 

estudos fora de Lagoa de Gatos. 

Então ele escreveu uma carta ao Dr. Álvaro 

Vieira, seu conterrâneo, solicitando um 

emprego que permitisse sua sobrevivência e 

seus estudos.


O dedo de Deus, a sorte e o acaso o 

protegeram: Dr. Álvaro Vieira como estava com 

hora marcada com o Dr. Clemente Galvão Neto, 

levou a carta, solicitou o emprego, e foi 

prontamente atendido.

Nelson chegou em Natal para trabalhar no 

laboratório Galvão de Prótese Dentária, em 

1951, e não parou mais de crescer: evoluiu na 

prótese laboratorial, fez vestibular de 

Odontologia, foi professor de Prótese da equipe 

Rosalvo Pinheiro Galvão e Dentista na Escola 

Industrial, hoje IFRN.


Mas Nelson não é apenas um Dentista, pois é 

um homem generoso, que gosta de um bom 

vinho e de uma boa música.



Nelson é um mestre na arte de fazer amigos!   

Por Givaldo Soares